Você não vai aprender Inglês em 1 ano, e nem deveria (entenda)

Viu a propaganda dizendo: “Seja fluente em Inglês em 12 meses (às vezes 18) ou o seu dinheiro de volta!”? Por mais interessante que seja (e quem dera fosse simplesmente tão fácil), essa é uma generalização publicitária que tem a intenção de captar a sua atenção, mas aprender uma nova língua vai muito além do que você pode imaginar.

Antes de você estudar Inglês (ou qualquer assunto, na minha opinião) você deveria se perguntar: “Qual é o meu objetivo com esse assunto? Onde eu quero chegar com essa habilidade?”

Essas perguntas deveriam guiar toda a sua experiência de ensino.

Mesmo assim, por qual motivo você não vai aprender Inglês FLUENTE em 12 meses (ou até mesmo 18)? Simples. São 4 habilidades essenciais no aprendizado do Inglês, 2 passivas (escuta e leitura) e 2 ativas (escrita e fala). Ter maestria nessas 4 habilidades pode demorar muito, especialmente porque depende da IMERSÃO CULTURAL NO IDIOMA de cada um. Afinal, o quanto o Inglês faz parte do seu dia-a-dia faz muita diferença na sua aprendizagem – um curso de Inglês não tem controle sobre isso, somente você.

Em outras palavras, você só aprende Inglês Fluente em 12 meses (ou 18) somente se você dedicar horas de estudo todos os dias, prática contínua e ter sua própria imersão cultural. Logo, depende mais de você; e esse processo não é fácil, especialmente para um adulto (com tantas responsibilidades ao longo do dia, tempo e energia são mais difíceis de gerenciar).

E quando alguém fala “para aprender Inglês você deve morar fora do país”? Em parte isso é verdade, por conta da imersão cultural e da exposição diária ao idioma, MAS, devo dizer que isso é metade da equação; conheço pessoas que moram há mais de 10 anos fora do país e ainda cometem erros graves de gramática.

Em outras palavras, não tenha pressa. Aproveite o processo e tenha paciência. Acelere estudando diariamente (30 minutinhos), se exponha todos os dias ao idioma e estude a gramática (faça as tarefinhas e tudo!).

Obs: Não contrate um curso de Inglês baseando-se em generalizações publicitárias. Já passamos deste ponto aqui no Brasil. Contrate uma experiência de ensino diferente.